Processo de Revitalização do Parque Zoobotânico agrada visitantes e animais

Parceria público privada promete transformar o Parque de Teresina em uma experiência agradável para todos

Por Emily Gabriele e Kassandra Soares

De Parque Zoobotânico de Teresina à Bioparque Zoobotânico Piauí. Essa mudança que aconteceu há alguns meses não foi a única, agora o Bioparque é uma colaboração público-privada entre a Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Piauí e o Consórcio Bioparque Piauí. Sr. Azevedo, que trabalha há vinte anos em um trailer de comida no local, conta com entusiasmo as mudanças que estão acontecendo durante esses últimos meses. “Aqui melhorou muito, antes não estava legal. Hoje já temos banheiros reformados e um jardim grande e bonito; seguranças e biólogos trabalhando aqui de segunda a sábado. Então a expectativa é que com as mudanças, melhore a experiência em 100%,”conta.

Nesses primeiros meses, a gestão está trabalhando com demandas emergenciais, como a limpeza de trilhas, conservação do parque, recuperação dos banheiros, bem-estar dos animais e outros problemas. Após esse período, o Bioparque passará por mudanças mais estruturais como a demolição de recintos, e isso acontecerá com a ajuda de uma consultoria que trabalha com o Beto Carreiro e o Bioparque do Rio de Janeiro.

Novos animais integrarão o zoobotânico e outros mudarão de recintos de forma que o bem-estar animal seja prioridade. Segundo Luciano do Rego, diretor há sete meses do parque, a escolha dos novos animais é um trabalho que está em andamento. Os consultores já visitaram o bioparque e avaliaram o clima, solo, relevo, vegetação para então decidir quais serão os animais que serão tragos. A preocupação é para que nenhum deles passe por situações desconfortáveis.

Dentro de um mês terá outra novidade, o Catamarã. A ideia é que o barco faça um trajeto do Parque Potycaba até o Bioparque Zoobotânico, pelas águas do Rio Poti.

Além dos biólogos, médico-veterinário e da polícia ambiental, o parque conta com a presença de estagiários que cuidam diretamente do enriquecimento alimentar. Eliza Campos, estagiária de medicina veterinária do bioparque, explica que o enriquecimento alimentar é a criação de brinquedos e objetos que tornam o recinto mais interativo e desafiador, isso estimula o instinto do animal reduzindo o estresse.

No instagram BioParqueZoo, administrado pelos estagiários, é possível acompanhar o momento da alimentação dos animais e em como essa atividade se diferencia no dia a dia do animal.

                                                   Desmistificando os Zoológicos 

Há muito tempo os zoológicos são conhecidos como espaços de lazer onde podemos passear e observar as várias espécies de animais. E com isso, temos a discussão de como esse espaço afeta na vida do animal e em como eles são tratados. Casos como da Ursa Marsha instigam na população uma sensação de revolta sem procurar entender qual o real objetivo dos zoológicos.

Na notícia  Por que os zoológicos estão em xeque no Brasil e no Mundo?, o biológo Paulo Braga  Mascarenhas Júnior comenta sobre a possibilidade de que zoológicos voltados para o entretenimento possam estar com os dias contados. Segundo ele, um bom zoo é aquele que consegue educar e sensibilizar os visitantes conscientizando sobre a conservação das espécies.

Atualmente o papel do zoológico está voltado para a conservação e cuidado com os animais resgatados de tráficos e de condições de maus tratos, e até mesmo aqueles que nasceram com algum tipo de deficiência e não podem ser inseridos no habitat natural.

A estagiária Eliza Campos diz que o Bioparque de Teresina recebe animais nessas situações e cita que o Macaco Babuíno que se encontra no local foi resgatado de um circo. “Ele foi resgatado e chegou aqui muito debilitado e com o tempo ele foi se adaptando. Os animais que estão aqui são aqueles que não podem mais ser realocados para a natureza, por ter uma certa limitação”, diz.

                               Qual a diferença de um zoológico para um bioparque ?

Em definição, o zoológico é um parque onde se criam animais de várias espécies destinadas à exposição pública. Indo contra esse conceito veio a criação de BioParques que foca na educação, pesquisa e conservação com um turismo contemplativo. Um dos Bioparques mais famosos do Brasil fica no Estado do Rio de Janeiro. O lugar que conta com uma área de 60 mil hectares tem em seu espaço mais de mil animais de 140 espécies diferentes.

Por esse motivo Luciano do Rego, diretor do Bioparque de Teresina, explicou o porquê da adição da palavra ao nome. Segundo ele, a mudança é para mudar a concepção do lugar para algo chamado de enclausuramento reverso. A ideia é que o animal se sinta mais livre que o visitante.

“O Bioparque funciona de maneira diferente, a ideia é que nele não existam grades e sim recintos grandes e a mudança no nome é para deixar claro”, comenta.

O Bioparque Zoobotânico é aberto de domingo a domingo, o horário de funcionamento é das 08h as 17h30. A bilheteria funciona somente até as 17h. O valor do ingresso é dez reais a inteira e cinco reais a meia entrada.

Visitantes do Bioparque Zoobotânico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.