Coletivo voluntário se junta em mutirões para limpar as margens dos rios Poty e Parnaíba

O coletivo “O Rio te chama” é uma iniciativa da estudante de artes plásticas Jamires Martins , voltado para limpeza das margens dos rios Poty e Parnaíba e que também retira aguapés do rio Poty. Tudo de maneira voluntária, sem patrocínio ou ajuda governamental. A iniciativa que contagiou especialmente a população mais jovem e estudantil trouxe conscientização ambiental e social desde o primeiro mutirão em 30 de agosto de 2021. 

Em sua primeira publicação no instagram o coletivo ressalta a importância das ações do mutirão: 

Publicação em instgram @oriotechama

“No último domingo, aconteceu o Primeiro mutirão de limpeza das margens do rio Parnaíba, uma iniciativa do coletivo O Rio te chama. Essa, foi uma das diversas atividades que o coletivo pretende realizar, nas margens dos rios da nossa querida Teresina, com o objetivo de preservar as margens e o os rios e de promover a qualificação desses espaços livres para que as pessoas se apropriem e façam uso diverso para lazer, recreação, prática esportiva, realização de eventos de integração da sociedade. “

Em entrevista durante o terceiro mutirão, Jamires relatou experiências vividas nas coletas como de encontrar peças intactas “recolhemos cerca de 10 sacos de lixo, com lixos variados. Nós chegamos no local e analisamos se ali é um lugar que a população frequenta, se precisa de lixeiras e começamos a trabalhar. Vivenciamos de perto a situação atual dos rios, ficamos surpresos com que se encontra. Na última ação eu encontrei uma boneca embalada, novinha, fechada, o que me levou a refletir, como e porque esse lixo chega aqui.” 

Participantes do mutirão após a coleta

No terceiro dia de ação alguns estudantes de faixa etária 20 a 30 anos estavam presentes e deram depoimentos. A estudante de moda Liana, que apresentava em seu lixo recolhido vários tecidos podres, ressaltou a importância do eco moda e a moda sustentável, enfatizando em seu depoimento que a indústria da moda é uma das mais poluentes e os tecidos em sua maioria não são biodegradáveis.

Liana durante depoimento
Tecidos apodrecidos e outros materiais recolhidos por Liana.

á outro depoimento trouxe a perspectiva da ativista ambiental, mestranda em geografia e eco socialista Talita, que trabalha em projetos de segurança alimentar e dependeu do rio Parnaíba durante a infância como fonte de saneamento. Talita conta que morava com a mãe na ocupação no Parque Eliane e lavava as roupas e banhava no Rio Parnaíba. Ela ressalta o valor emocional do rio e da importância de manter o rio limpo para a população.

O estudante de artes visuais Carlos Henrique fala da importância da limpeza dos rios e suas margens para que a população possa desfrutar dos rios como área gratuita de lazer e possa fazer isso com consciência e responsabilidade. No momento o coletivo busca apoio de um carro prefeitura para ajudar a levar o lixo recolhido das margens, que a cada mutirão é em torno de 10 a 20 sacos de 100 Litros cheios de lixo. Atualmente os integrantes deixam estes sacos no meio fio da avenida maranhão para esperar a coleta.

Sacos de lixo recolhido das margens do rio, deixados no meio fio da Avenida Maranhão

Agnes Moita, para Portal Luneta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.