Portal Ocorre Diário busca subverter a lógica dos veículos de comunicação tradicionais em Teresina

Karla Luz

Foto reproduzida do site do portal Ocorre Diário

A capital do Piauí, Teresina, conta com diversos veículos de comunicação alternativos que se contrapõem à hegemonia das mídias tradicionais na cidade. Desde 2018 o portal Ocorre Diário é um destes veículos que tem a luta pela democratização das mídias como pauta principal, na tentativa de popularizar e coletivizar a comunicação.

Antes de se tornar portal, o Ocorre, foi Flores.Ser Comunicação Coletiva, iniciativa que nasceu com a perspectiva de formar uma plataforma de comunicação, tendo propósito bem definido de desenvolver uma comunicação integrada para assessorar movimentos populares e de cultura. Em março de 2018 o Coletivo Flores.Ser se transforma em Ocorre com sua primeira matéria publicada na Web.

O portal e coletivo Ocorre Diário busca desde então contrapor as editorias tradicionais e normativas, criando rotas de fuga ao discurso único, como destaca a jornalista e fundadora do portal, Sarah Fontenelle. “Hoje temos uma série de mídias que contra-colonializam a alienação e desinformação no cenário midiático local, colocando em voga os problemas comunitários, a diversidade cultural, a luta contra o machismo e a homofobia, as violências policiais e estatais, a luta do povo negro, a luta indígena e da classe trabalhadora, o Ocorre é um destes.”, conclui Sarah.

Foto reproduzida do site do portal Ocorre Diário.

A mídia popular depende do povo

O portal é independente financeiramente e conta com voluntariado para que exista e sobreviva. É a partir desses voluntários que o portal consegue desenvolver seus trabalhos, dividindo entre si as funções de redação, correção, design e social media. 

“Às vezes um sabe editar, o outro escreve, a outra pessoa está no local mandando informação, o outro tem dados importantes…. e assim nós elaboramos coletivamente. Também reelaborando os modos de fazer, a mídia popular não tem qualquer tipo de incentivo senão o compromisso com o povo.”, relata Sarah Fontenelle. 

O jornalista e também fundador do Ocorre diário, Luan Matheus, revela que as funções dentro do coletivo são horizontais possibilitando que o funcionamento do portal seja diferente das grandes mídias, “a mídia convencional ainda tem uma caixa muito bem composta, que é difícil de ultrapassar, não é impossível, mas é difícil, sobretudo por conta das hierarquias, no ocorre não, a gente constrói uma comunicação horizontal, onde todos têm a possibilidade de fazer comunicação ,” destaca Luan Matheus.

Todas as pessoas podem contar suas histórias independente de onde estejam 

Uma das preocupações do portal é a possibilidade de contribuição da população para o processo de redação. As relações com as comunidades são fundamentais para que se possa criar um canal de diálogo que permita que todos se sintam parte do processo. 

As contribuições podem vir de longe: com a internet e a pandemia a conexão entre os redatores e produtores de matérias passaram por transformações que permitem que pessoas fora de Teresina possam contribuir com o portal, “Eu estou trabalhando em Minas Gerais e semana passada teve uma ordem de despejo para duas ocupações em Teresina. Uma companheira de militância foi até o local, de lá ela ficou me mandando informações, às lideranças comunitárias também mandaram áudios e juntas fomos interpretando o documento enviado pelo Juiz, a liderança comunitária pontuou o que achava importante ser mencionado. A companheira que lá estava leu o material com a comunidade que fez seus apontamentos.”, destacou Sarah Fontenelle. 

Imagem reproduzida da rede social do portal Ocorre Diário.

Movimentos Sociais de Juventude enxergam o portal como importante e jovial

Os coletivos de juventude RUA Juventude Anticapitalista e Afronte destacaram a importância de se ter uma rede de comunicação que seja alternativa em Teresina.  

Brenda Marques, Coordenadora Geral do coletivo Afronte destaca a importância do portal como mídia alternativa. “Nós achamos importante que existam mídias independentes que se posicionem e que fure a bolha da desinformação e da fake news. O ocorre diário tem funcionado muito para a fortalecer e visibilizar de atos, atividades de luta popular, e fazer denúncia a gestão municipal e isso é muito importante. Uma mídia que se posiciona.” salienta Brenda Marques militante do coletivo Afronte.

Lucas Martins, Coordenador Estadual do coletivo RUA Juventude Anticapitalista, também ressalta a linguagem do portal em relação ao diálogo com um público mais jovem. “Como plataforma digital é bem jovial, tem um alcance inclusive positivo no ponto de vista de ser um meio de comunicação organizado, que está verificando constantemente o que tem acontecido na cidade, e se preocupando com a pauta mais popular.” ressalta Lucas Martins militante do coletivo RUA Juventude Anticapitalista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.