Ideia iluminada: Piauí lidera geração de energia solar

Por Felipe Soares e Luna Santana

Em meio à crise elétrica, com alta nas tarifas, A dupla de verbetes (crise e energia cara) estava em desuso no Brasil, mas voltou à tona com a crise do setor elétrica dos últimos anos. Para tirar da boca da população, a tarefa não parece ser simples. Os sucessivos apagões ligam o alerta: é preciso encontrar uma alternativa à energia elétrica, já que o consumidor, literalmente, é quem paga a conta.


Além dos diversos problemas técnicos, o baixo retorno para o Estado atrapalhava investimentos na área. Desde o impulsionamento das políticas de privatização de estatais, as empresas estrangeiras assumiram a participação na coordenação do setor. No Piauí, os usuários reclamam. São diversas as taxas de aumento na conta de luz.

Luz no fim do túnel

Teresina, conhecida como filha do Sol do Equador é pioneira na aposta mais sustentável e, atualmente, econômica à energia elétrica: a energia solar. Ironia ou não, o sol tão vilão dos teresinenses, tem sido um importante aliado para as contas.

Há outras alternativas, como a energia eólica. No estado, são nove usinas que utilizam o vento como força-motriz para contornar a crise hídrica. Mas o sol se destaca, mesmo apenas cinco usinas de energia solar.

A Prefeitura de Teresina estimula o investimento, a partir do “IPTU Verde”. Através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), o selo estabelece à pessoa física o desconto progressivo no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), de 5% a 20%, de acordo com o investimento realizado pelo cidadão em tecnologias e modelos sustentáveis de construção ou reforma. Além dos benefícios ambientais, com a diminuição da emissão de gás carbônico (CO2) na atmosfera, explorar o potencial da energia solar é a ideia iluminada do momento.

Segundo a Secretaria de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis do Piauí (Seminper), o Piauí, com o parque solar “Nova Olinda”, em Ribeira, possui o maior parque solar da América do Sul. São US$ 300 milhões pela Enel Green Power no Brasil para a implementação de 930 mil placas solares em uma área de 690 hectares. O resultado: 1.700 empregos diretos e indiretos, além da produção de 600GWh anuais. Além de Ribeira do Piauí, outros quatro municípios possuem usinas de energia solar.

Para o cidadão comum, o investimento pode ser feito através do financiamento dos equipamentos solares. O gerente de vendas Assis Carvalho adotou a alternativa sustentável: em maio de 2021, instalou 10 placas solares. Assis completa que a energia era fraca, mas garantia o mínimo de conforto aos pais. "Estudei sobre isso, e anos depois, pude fazer esse investimento", explica o gerente de vendas. 

Era um sonho antigo meu. Minha infância foi sob a luz do sol e da lamparina (risos). Depois de alguns anos, pudemos instalar na casa que nasci a energia solar, mesmo com placa.

O pagamento da aparelhagem será feito em 10 anos, sob parcelas. Mas isso não parece ser problema: "Enquanto isso, uso a energia de acordo com a demanda em casa e posso vender o excedente. Tem sido um alívio neste período de tantas incertezas", complementa. 


NO PIAUÍ

O valor da mão de obra e equipamentos utilizados varia entre R$ 12 mil e R$ 17 mil para residências, propiciando a possibilidade de gerar uma economia de até 95% no valor da conta de luz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.