Piauí, terra querida,filha do sol do equador!

O aumento da energia solar no estado do Piauí

O Piauí é considerado um dos maiores produtores de energia solar no Brasil e na América Latina, a sua localização é privilegiada para ser um berço de energia limpa, já que a incidência dos raios solares é bastante. Hoje o estado tem as duas maiores usinas de energia fotovoltaico da América Latina, uma localizada em Ribeira do Piauí e a outra em São Gonçalo do Gurguéia, que gerou cerca de 7 mil empregos na região.
Segundo a Empresa de Pesquisas Energéticas, EPE, em 2018, o Piauí quintuplicou a quantidade de energia gerada em comparação ao ano de 2015, seja ela utilizado para residências ou comércio e indústria. O professor do curso de engenharia elétrica da UFPI, Marcos Lira, explica sobre esse aumento: “Eu atribuo a fatores primeiro a resolução 482 da agência nacional de energia elétrica que ajudou a baratear os painéis. E segundo foi o esforço do governo para atrair investimentos no Piauí, como é o caso das duas maiores usinas elétricas da América Latina”

Esse tipo de fonte de energia possui diversos benefícios:
• Não é poluente:
Não agride o meio ambiente por advir de um recurso natural, renovável e sustentável.
• Baixa Manutenção:
As placas solares duram cerca de 25 anos e a sua manutenção é apenas anual.
• Diminuição na conta de luz:
Em imediato, a conta de energia pode diminuir em até 95%. Em 7 anos, o investimento inicial acabará e o dono da casa irá pagar apenas os 5% da conta de luz.
• Valorização do Imóvel: A casa pode ter uma valorização entre 4% e 6%.
• Prevenção do Meio Ambiente:
Por se tratar de um fonte limpa, ela não agride o meio ambiente e ajuda na sua prevenção.

custos

O estudante de Geografia da Uespi, Danrley Andrade fala sobre a sua experiência com a energia fotovoltaire “Eu acho importante ter essa energia, já que ela contribuí para o meio ambiente, além de ser um investimento financeiro que eu e minha família vemos na conta de luz. Eu aconselho que todas as pessoas que podem fazer esse investimento de fato façam porque dificilmente vão se arrepender”.Nos últimos anos, o número de usuários dessa energia limpa aumentou no estado. Em média, o investimento inicial para uma família de 5 pessoas que gasta 500 Kwh por mês é de 19 mil reais. Em média, em 3 anos e meio o que é economizado na conta de luz é o valor que se paga do investimento. Logo, o pagante terá 22 anos e 6 meses no lucro, já que o sistema de energia solar dura em média 25 anos.

A pedagoga, Adélia Amorim, fala sobre o custo que teve, “Na minha casa com 4 pessoas o valor foi de mais ou menos 20mil. Se olhar apenas o valor, você vai achar que é alto, mas foi um investimento que eu fiz para minha casa e que daqui 2 anos eu já vou ter o retorno e depois pagar apenas uma pequena taxa de luz”.

Energia Solar e o Meio Ambiente

Vem em uma crescente a busca por uma vida mais sustentável, seja na alimentação, atividades física ou no uso de bens de consumo. No processo de transformação de energia não ocorre a liberação do Co2, este que aumenta o efeito estufa, tem baixo índice de poluição para o meio ambiente, esta se dá pela placas solares que em determinado momento terão que ser descartadas, apesar de elas terem bastante “anos de vida”. No Brasil, a maior fonte de energia é a proveniente da força água, esta pode não ser a mais prejudicial para o meio ambiente ou aparentar ser sustentável, mas os arredores do local das usinas hidrelétricas ficam bastante devastadas.
“Somatizar a preservação ambiental com a utilização dessa fonte de energia é primordial para o avanço de uma sociedade mais sustentável. O meio ambiente vem de anos de desmatamento e desgaste. O Piauí tem bastante potencial para ter um número maior de casas com essa tecnologia, além de se modernizar vai estar ajudando o meio ambiente” afirma o Engenheiro Ambiental Marcos Silva.

Energia solar na iluminação pública

Mesmo antes da energia solar residencial e comercial, alguns municípios do Brasil já usavam esse sistema para a iluminação de praças, pequenos vilarejos e ruas. No viés técnico, o uso dessa energia na iluminação pode ser estendida para projetos maiores, já que ela traz diversos benefícios e moderniza aquele local.
Mas isso também traz uma preocupação, é o que explica o professor de engenharia elétrica da Ufpi, Marcos Lira: “O único problema é a de segurança pública, pois os aparelhos ficam expostos e podem ser furtados. Tirando isso, pode se vê um futuro com mais locais em que os municípios utilizem dessa tecnologia”.
Em 2011, toda a iluminação da Ponte do Mocambinho, em Teresina, era por meio da energia solar, mas depois de um tempo os aparelhos solares foram furtados.
Em 2019, a Universidade Federal do Piauí, UFPI, passou a ter a energia fotovoltaire em uma de suas paradas de ônibus, essa recebeu 8 ventiladores e 8 tomadas. O projeto foi realizado pelos próprios estudantes de engenharia elétrica da instituição com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí, a FAPEPI.

Fonte: site da Universidade Federal do Piauí.

autoras: Glenda muryelle e Ramila gomes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.