O mercado estético em Teresina

Apesar da pandemia do novo coronavírus ter afetado negativamente inúmeras atividades profissionais, o mercado estético em Teresina segue aquecido. Apresentamos um panorama com os principais profissionais que auxiliam na melhoria da saúde e da autoestima dos teresinenses. Por: Nayara Venâncio

Da esquerda para a direita: Educador Físico Janiel Herik; Nutricionista Esportivo Crause Celso; Cirurgião Plástico Dr Antônio de Deus; e Psicóloga Mariana Nascimento.

O conceito de saúde preconizado pela Organização Social de Saúde é de “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades”. Uma das primeiras promessas em inícios de anos é o aumento do cuidado com a saúde e com a estética, especialmente com a chegada do verão. A percepção do que é beleza se adapta com os tempos e, em geral, a primeira providência de quem deseja novos hábitos é matricular-se numa academia ou iniciar a prática de alguma atividade física.

De acordo com o profissional de Educação Física Janiel Herik, “O exercício de forma orientada, de forma correta traz grandes benefícios à saúde: melhora sistema imunológico, diminui cortisol, combate sedentarismo, entre outros.”

Figura 2 – Profissional de Educação Física Janiel Herik em Atendimento Personalizado

“O início do ano é marcado por novas metas e o primeiro passo de uma pessoa que não costuma se exercitar deve tomar, para sair do sedentarismo, é procurar uma equipe multidisciplinar”, defende o educador físico.

Durante a pandemia e com pesquisas apontando o sedentarismo como fator de risco à covid-19, houve uma explosão no uso de aplicativos de exercícios físicos para treino em casa. Janiel alerta que os apps facilitam e auxiliam muitos treinos, mas faz ressalvas sobre o uso das plataformas digitais e os riscos de lesões, especialmente por iniciantes nas práticas de atividades físicas.

“Os apps podem facilitar a vida de alguns indivíduos que têm uma grande experiência com treino. Eu não faço uso desse tipo de plataforma digital. O motivo pelo qual trabalhamos com saúde é por quê isso requer vários cuidados, principalmente em relação à musculação, onde temos exercícios complexos, em que não podemos descuidar na atenção aos movimentos dos nossos alunos. O app não permite que eu corrija um movimento errado enquanto meu aluno o pratica, por isso não utilizo.”

As faixas etárias dos praticantes de atividades físicas variam de 16 a 70 anos e dentre os objetivos estão: o ganho de massa magra com foco na hipertrofia e a diminuição de gordura. O nutricionista Crause Celso adiciona a esse contexto a ideia de que o teresinense é vaidoso, na medida em que, geralmente, a escolha de iniciar uma atividade física é a estética. “No entanto, ainda que a melhoria estética seja o principal motivo, costuma haver a promoção e melhoria da saúde do praticante. Elas sempre andam juntas e um grande exemplo é a musculação”, afirma Crause.

Figura 3 – Nutricionista Crause Celso

Reaprender, em certos casos, pode ser ainda mais difícil do que aprender. Em relação à alimentação, por exemplo, com certeza essa tese faz sentido, pois, a grande maioria das pessoas, atletas ou não, necessitam de uma reeducação alimentar para acompanhar os hábitos do dia a dia e o bom funcionamento do organismo. No mercado estético, a busca por nutricionistas esportivos é uma crescente em relação ao nutricionista clínico.

“Uma correta alimentação pode potencializar a performance no esporte, melhorar foco, concentração e melhorar os marcadores de exames sanguíneos. Já o nutricionista esportivo tem como principal objetivo melhorar a performance do atleta esportivo e ajudar na prevenção de doenças futuras. Já o nutricionista clínico tem como função minimizar ou melhorar a saúde de um paciente acometido de alguma patologia (doença), promovendo a melhora no quadro clínico geral”, pondera Crause Celso.

Figura 4- – Imagem de StockSnap por Pixabay

A inflação nos alimentos e o aumento do valor da cesta básica impacta a vida do brasileiro médio; mas, apesar do aumento do preço dos gêneros alimentícios, há como comer bem sem gastar muito dando ênfase a verduras, legumes, frutas, tubérculos e alimentos folhosos, que são mais baratos do que os grãos (arroz, feijão). Pode-se usar mais carnes brancas, que são relativamente mais baratas que as carnes vermelhas.

Assim como os preços, os níveis de ansiedade e casos de insônia aumentaram na pandemia, levando ao aumento da compulsão alimentar. Para auxiliar no combate dessa doença, deve-se tentar treinar todos os dias, em especial nos horários de maior ansiedade.

O nutricionista aconselha: “Beber bastante agua e chás promovendo assim um aumento no consumo de líquidos.Nada de restrição alimentar e aumentar a quantidade de frutas e verduras durante as refeições para evitar fome. Vale lembrar que o suplemento alimentar não é vilão. Eles são utilizados quando não há como adquirir alguns nutrientes em uma dieta. Logo não se faz necessário usar suplementos em uma reeducação alimentar.”

Figura 5- Imagem de Bridgesward por Pixabay

De acordo com uma pesquisa divulgada em dezembro de 2019 pela ISAPS – Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, no ano de 2018, o Brasil registrou a realização de mais de 1 milhão de cirurgias plásticas, além de 969 mil procedimentos estéticos não cirúrgicos ultrapassando assim os Estados Unidos e se tornando o país que mais faz cirurgias plásticas. Estima-se que os EUA e o Brasil têm o maior número de cirurgiões plásticos, com mais de 25% do total mundial.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) foi fundada em 1948, em São Paulo, com o objetivo de promover e aprimorar o estudo da cirurgia plástica no Brasil. Hoje, a SBCP é composta por aproximadamente 6.500 cirurgiões plásticos, entre titulares, associados e aspirantes a membros e Teresina conta com 37 profissionais associados.

Cirurgião Antonio de Deus

Os procedimentos estéticos podem ser cirúrgicos, minimamente invasivos, ou clínicos. Os cirúrgicos mais realizados no Brasil atualmente são os implantes mamários (próteses de silicone), lipoaspiração e rinoplastias. O cirurgião Antônio de Deus confirma que esses são os procedimentos que mais realiza nos pacientes mais jovens.

“Já nas pacientes com mais idade ou que já tiveram filhos e amamentaram os procedimentos mais procurados são abdominoplastia para corrigir alterações da gestação, bleferoplastia que é a cirurgia plástica que melhora o aspecto das pálpebras superiores e inferiores e a mastopexia cirurgia que tem o objetivo de remodelar, levantar ou diminuir as mamas. A título de curiosidade, é possível aumentar a mama sem silicone, mas na maioria dos casos é feito o implante pelo desejo de remodelar a mama. Caso se deseje aumentar a mama sem silicone se utiliza a gordura corporal da própria paciente, mas em geral nesses casos são pequenas áreas para contorno”, afirma.

Figura 7- Imagem por Pixabay

A cirurgia plástica envolve muitas escolhas: a primeira e mais importante é selecionar o/a cirurgião/ã em quem confiar.  Observamos que algumas pessoas se guiam pelas mídias sociais para escolher os profissionais, número de curtidas e seguidores. Há uma inversão de valores, promovida por mídias sociais. Um médico tem deixado de ser admirado e procurado por sua competência científica, capacidade técnica, qualificação profissional e respeitabilidade, mas sim pelo número de “likes” e seguidores de suas mídias sociais. É preciso repensar este comportamento social, em prol da segurança da população.

Dr. Antônio de Deus ressalta que:“Vivemos em um mundo digital e não há como modificar isso. Ele tem suas vantagens e desvantagens. As vantagens estão no acesso à informação, mas seus perigos estão no esquecimento das credenciais oficiais e se deixar influenciar por celebridades ou blogueiras negligenciando a checagem dessas credenciais. Nós temos um órgão que regulamenta nossa profissão e pra se tornar um profissional certificado são pelo menos 11 anos de estudos e muitas provas. Para se começar uma carreira na cirurgia plástica deve –se percorrer 06 anos de medicina, 02 anos em Residência de Cirurgia Geral, 03anos de Especialização em Plástica e por fim mais um teste para ingressar como membro nos quadros da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) . Essa informação é pública e qualquer pessoa pode verificar no site: http://www2.cirurgiaplastica.org.br/encontre-um-cirurgiao/“.

Figura 8 – Site httpwww2.cirurgiaplastica.org.brencontre-um-cirurgiao

O Brasil, com seu avanço tecnológico, contribuiu para o incremento das opções a serem consideradas nas cirurgias plásticas. Apesar disso, há uma crescente de procedimentos estéticos invasivos com profissionais de outras áreas, uso de propagandas de antes e depois. Exemplo é o caso da popularização da Harmonização Facial. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) lançou em 2020 em suas redes sociais e canais de comunicação, a campanha “Cirurgia Plástica: não existe milagre. Existe ciência, responsabilidade e especialização!”.  Com o conteúdo baseado em publicações abusivas de não médicos ou não especialistas, que fazem propagandas de cirurgias plásticas como se fossem objetos simples de consumo e acompanhando os crescentes casos de deformações em pacientes, muitos deles indo a óbito.

Peça Publicitária da SBCP Campanha Não Existe Milagre Existe Ciência

É importante frisar que quando se fala de mercado estético, beleza as pessoas esquecem que nós estamos falando de saúde, não só saúde mental, mas saúde física também. Mesmo os procedimentos não cirúrgicos possuem riscos como: cegueira, necrose de tecido (vulgo perda de partes do corpo como nariz), isquemia na boca e assimetria no seu rosto ou ainda evoluir para óbito, como temos visto várias notícias recentes na imprensa. E nós temos recebido, infelizmente, muitas pacientes para tratar os resultados de procedimentos estéticos realizados por profissionais não médicos fora dos ambientes adequados pra sua realização.  Medicina é coisa séria.  É importante estarmos nas redes sociais para melhorar o acesso à informação, aumentar o contato com a sociedade, mas a medicina é ciência” , alerta o cirurgião.

Figura 10 – Peça Publicitária da SBCP Campanha Contra Fakenews

Soma-se a esse cenário, o fato de que algumas pessoas estão desejando ser um filtro do instagram. É cada vez mais perceptível que as pessoas atualmente não estão em busca de resultados possíveis, mas de resultados irreais, se comparando com fotos modificadas em aplicativos (como Autoune, Faceapp, Photoshop ). Algumas, estipulam para si mesmas ideias de beleza inatingíveis: com cinturas que não existem e arqueados de sobrancelhas irreais, por exemplo, ficando frustradas quando não se vêm dessa maneira.

As pessoas estão desejando ser um filtro do instagram, Nós percebemos que as pessoas atualmente não estão em busca de resultados possíveis, mas de resultados irreais se comparando com fotos modificadas em aplicativos (autoune, faceapp, photoshop ) com cinturas que não existem, arqueados de sobrancelhas irreais e as pessoas ficam frustradas quando se explica que não é possível operar e ficar daquela forma. É um ideal de beleza inatingível.  E isso é muito comum quando se deseja realizar procedimentos na face.

Figura 11- Psicóloga Mariana Nascimento

O Nordeste representa 14,5% das cirurgias plásticas no Brasil. É evidente que um procedimento estético pode trazer melhorias, como autovalorização da imagem corporal, autoestima e melhor qualidade de vida do paciente. No entanto, é preciso ficar atento quando esses procedimentos causam mais insatisfação, e agravamento de transtornos psicológicos já existentes. Isso porque, estudos apontam que 21-59% dos pacientes que realizam cirurgias estéticas apresentam sinais e sintomas de transtornos psiquiátricos, como transtorno dismórfico corporal, transtornos alimentares e depressão. Por esse motivo, é importante também que profissionais da área da estética busquem conhecimento em saúde mental, assim afirma a psicóloga Mariana Nascimento:

“As redes sociais também podem contribuir positivamente para informações relacionadas a auto aceitação e desmistificação de muitos procedimentos estéticos. Por outro lado, observo que, na sua maioria, adolescentes acabam tendo maior dificuldade em filtrar essas informações, principalmente quando apresentam diagnóstico de depressão e ansiedade, consequentemente, aumentam-se as comparações estéticas, impactando de maneira negativa na sua autoestima. As cirurgias plásticas podem trazer inúmeros benefícios, promovendo a saúde física, mental e social dos indivíduos. É necessário, porém, ficar atento à frequência dos procedimentos e quando são persistentes as mudanças na imagem corporal ou quando a pessoa não se satisfaz com os resultados dos procedimentos”.

Sem se sentir bem e segura com a aparência física, é difícil. Além disso, o racismo em relação à estética negra e à estrutura do cabelo negro crespo/cacheado têm impactos negativos na autoestima da mulher negra. Para lidar também com isso sem recorrer às cirurgias, nos últimos anos, tem surgido um movimento de maquiatrizes por meio das redes sociais (Instagram e Youtube), que trabalham pela desconstrução de padrões e pela valorização da beleza negra por meio da maquiagem, criando novas narrativas. O aumento de produtos específicos para a pele negra e cabelos crespos é um caminho para lidar com a insegurança sobre o próprio corpo da mulher negra e desconstruir o padrão eurocêntrico de beleza. Esse seria, portanto, um exemplo positivo do mercado estético.

“É como se agora pudéssemos afirmar que existe beleza na mulher negra, não é mesmo? Antes a maior parte dos produtos e dos procedimentos estéticos tinham como objetivo disfarçar nossos traços. É se sentir representada, é ter nosso lugar, e contribuir cada vez mais para uma autoestima saudável”, pondera a psicóloga.

Figura 12 – Imagem de Shurkin Son por Freepik

O mito da beleza, segundo Naomi Wolf, tornou a “beleza” uma qualidade universal para o mundo feminino e um culto à juventude. A métrica desse “padrão” de beleza chama-se Proporção Áurea, medida criada na Grécia Antiga, com base em “simetrias perfeitas” e em cálculos eurocêntricos. Com o desenvolvimento da medicina, as expectativas de vida das pessoas vêm aumentando. Quem chega nesse estágio de vida já não é considerado sexy, atraente, ativo de possíveis realizações pessoal ou até mesmo, útil. E esses são apenas alguns dos tópicos que se criam em volta do envelhecimento, criando medo e diferentes maneiras de evitá-lo. O mercado estético, por vezes, é responsabilizado pela negação da beleza da passagem do tempo.

Segundo Mariana, “ele pode contribuir para esse pensamento, no entanto, não é determinante, pois há séculos vivenciamos a dificuldade de compreender o envelhecimento de maneira, que o culto ao belo e a perfeição de traços também estão relacionados há fatores sociais e econômicos. Os estudos acerca do envelhecimento na psicologia são novos. Além do crescimento da população idosa, verifica-se também um alto índice de distúrbios emocionais, ocasionado principalmente pela negligência dos cuidados da saúde mental quando mais jovens, fazendo o processo do envelhecimento mais difícil de ser compreendido. A prevenção nos cuidados com a saúde mental é sempre o melhor lugar para se começar, buscando o desenvolvimento da autoestima em todas as fases da vida”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.