Grandes nomes da arte brasileira que a Covid-19 levou em 2020

Por: Caio Henrico e Nathan Rangel

Em 2020 o mundo sofreu com a maior pandemia que já existiu desde a gripe espanhola em 1918: a pandemia de Covid-19 ou corona vírus. Claro que o Brasil não ficou de fora dentre os países que tiveram grandes perdas devido a essa pandemia, em especial dentro do meio artístico, perdendo grandes ícones para a doença.

Hoje, o Brasil está com mais de 200.000 vítimas levadas pelo novo corona vírus, e foi feito um levantamento de nomes importantes nas artes e no âmbito midiático, sendo contados mais de 30 nomes apenas do meio das artes. As perdas que o meio artístico brasileiro veio a sofrer se deram em várias de suas ramificações, tal como música, televisão e dublagem, sendo que todas as áreas vieram a perder artistas renomados.

Dentro do meio musical, um nome famoso que pode ser citado e que decerto fará falta dentro da área musical é o cantor Paulinho, vocalista da banda Roupa Nova. Paulinho tinha 68 anos de idade, sendo um dos fundadores do grupo e compositor de algumas de suas músicas mais famosos como a música “Linda Demais” Paulinho tinha realizado um transplante de medula óssea e, durante a recuperação da cirurgia, acabou contraindo e vírus e vindo a falecer em 14 de dezembro de 2020.

Vocalista do Roupa Nova, Paulo César Santos (Paulinho)

Dentro do âmbito televisivo, um grande nome que pode ser lembrado por ter sido tirado dos brasileiros pela Covid-19 foi a atriz Nicette Bruno. Em sua carreira carregada de grandes trabalhos, podemos citar os seus papéis nas novelas “Selva de Pedra” de 1986, “Rainha da Sucata” de 1990, e claro, seu inesquecível papel como Dona Benta na versão do “Sítio do Pica-Pau Amarelo” de 2001. No domingo 20 de dezembro, aos 87 anos, Nicette faleceu.

Atriz Nicette Bruno

Até mesmo a dublagem, uma área da arte brasileira não muito popular, sofreu com grandes perdas. A dubladora e também atriz Nair Silva morreu no dia 14 de dezembro de 2020, aos 70 anos, devido às complicações do corona vírus. Com mais de 50 anos de carreira, Nair dublou séries e desenhos famosos como “Goggle Five”, “Changeman”, “O Fantástico Mundo de Bob”, “Rugrats, os anjinhos”, entre outros. Nair Silva também deu dicas importantes para aqueles que desejam ingressar no ramo artístico da dublagem. A perda de sua voz foi certamente um grande abalo para o mundo da dublagem e os dubladores.

Dubladora Nair Silva

Uma das primeiras mortes entre as celebridades brasileiras pela Covid-19 foi a do funkeiro MC Dumel, que morreu em abril, após alguns dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital no Rio de Janeiro. Com apenas 28 anos e nenhum problema de saúde anterior à Covid, sua morte chocou os fãs.

Funkeiro MC Dumel

Eduardo Galvão foi outro ator de grande bagagem dentro da TV brasileira que foi levado pelo corona vírus. Ele atuou em novelas de grande sucesso, como “A Viagem” e “O Clone”, tendo anos de experiência. O ator ficou 11 dias internado no Rio de Janeiro e chegou a ficar com 50% dos pulmões comprometidos, sendo levado para UTI por isso. No dia 7 de dezembro, veio a falecer com 58 anos de idade.

Ator Eduardo Galvão

Outro grupo musical famoso que perdeu um de seus fundadores foi o grupo de samba Fundo de Quintal. O cantor Ubirany, criador do repique de mão, faleceu no dia 11 de dezembro, após passar alguns dias internado no Rio de Janeiro.

Cantor de samba Ubiramy

O letrista, poeta e compositor Aldir Blanc, considerado um dos maiores letristas do Brasil foi outra grande perda na área musical no ramo das composições. Compositor desde os seus 18 anos, Aldir Blanc fez parceria com grandes nomes da música como Clara Nunes, Gilberto Gil e Chico Buarque. No entanto, sua parceria mais marcante foi com o mineiro João Bosco. Da parceria deles vieram músicas marcantes como “O Bêbado e o Equilibrista”. O compositor veio a falecer no dia 4 de maio ao 73 anos de idade.

Compositor Aldir Blanc

A literatura brasileira também perdeu Daniel Azulay, que também era artista plástico e faleceu aos 72 anos no dia 27 de março. O artista foi de grande sucesso com as crianças das décadas de 1970 e 1980 pelo programa educativo “Turma do Lambe Lambe”, no qual o artista se dedicava a ensinar para as crianças a importância da sustentabilidade.

Escritor e artista plástico Daniel Azulay

Um nome que fará grande falta tanto no âmbito artístico, quanto no âmbito do Jornalismo, será Jesus Chadiak. Ex-diretor de cultura da Associação Brasileira de Imprensa, Chadiak veio a falecer no dia 8 de maio, aos 78 anos. Ele foi internado no dia 4 do mesmo mês na UTI, até sofrer complicações cardíacas no dia 8 devido à Covid-19 e, consequentemente, não resistir.

Ator, roteirista, jornalista e diretor Jesus Chadiak

A influenciadora digital Ana Paula Rubini estava em tratamento de um câncer desde 2013 quando, aos 30 anos, morreu no dia 4 de outubro, após lutar contra a Covid-19. Ana Paula tinha mais de 133 mil seguidores no Instagram e mais de 400 mil no TikTok, onde compartilhava o dia a dia do tratamento do linfoma.

Influenciadora digital Ana Paula Rubini

A drag queen Miss Biá também foi vítima do corona vírus. Nascida como Eduardo Albarella, faleceu aos 80 anos, no dia 3 junho. Uma das primeiras drag queens do país e popular na noite paulistana, Biá foi maquiadora de Hebe Camargo e costumava imitar a apresentadora em suas performances.

Drag Queen Miss Biá

Sérgio Sant’Anna foi outro grande nome da literatura que morreu devido às complicações da Covid-19. Contista, romancista, poeta e professor, 78 anos, conhecido pela experimentação formal, ele transitou e foi elogiado por seu trabalho em diversos gêneros. Dentro das experimentações promovidas por San’Anna estava o diálogo com outras áreas, como as artes plásticas, o teatro e o cinema. Entre seus livros mais conhecidos estão “Confissões de Ralfo”, “Um crime delicado”, “O concerto de João Gilberto no Rio de Janeiro” e “O homem-mulher”. Seu livro mais recente é “Anjo noturno” (2017). Recebeu vários prêmios, entre eles o Jabuti (em três ocasiões) e o Portugal Telecom.

Escritor Sérgio Sant’Anna

O violoncelista da Orquestra Sinfônica de Teresina (OST), Caio Michel Cardoso da Silva, 30 anos, faleceu vítima da Covid-19. Em postagem, o Palácio da Música lamentou a partida inesperada do músico. Caio também era professor de piano e canto, graduado pela Universidade Federal do Piauí. O músico estava internado há mais de 20 dias em um hospital de Teresina.

Violoncelista Caio Michel Cardoso da Silva

O artista visual e escritor piauiense Carlos Di Holanda, de 58 anos, faleceu vítima de Covid-19, em Teresina. Di Holanda chegou a ser internado no Hospital do Promorar, e descobriu que estava com a doença apenas horas antes de falecer. Di Holanda foi internado às pressas, mas não resistiu e faleceu. Di Holanda nasceu em Pedro II, no Piauí, e tinha 58 anos. Ele deixou dois filhos.

Artista visual Carlos Di Holanda

Apesar de tantos grandes nomes da arte brasileira terem sido levados pela Covid-19 no ano de 2020, na história da arte do país serão sempre lembrados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.